ECOS - ESPAÇO DE COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL SPDM

Edição 33º - Crise Hídrica e Energética

20 de setembro 2021

Edição 33 CRISE HÍDRICA E ENERGÉTICA

Nos últimos meses, devido ao baixo índice de chuvas, diversos setores e empresas têm apresentado preocupação com o nível dos reservatórios de água. A Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA) declarou, no dia 01/06/2021, situação crítica de escassez dos recursos hídricos na Região Hidrográfica do Paraná, que abrange parte dos territórios de cinco estados (GO, MG, MS, PR e SP).

Você sabia?

Estima-se que o Brasil possua cerca de 12% da água doce disponível no planeta, mas a distribuição natural desse recurso não é equilibrada. A região Norte, por exemplo, concentra aproximadamente 80% da quantidade de água disponível, mas representa apenas 5% da população brasileira. Já as regiões próximas ao Oceano Atlântico possuem mais de 45% da população, porém, menos de 3% dos recursos hídricos do país.

Ainda, segundo informações do site da ANA (https://www.ana.gov.br/aguas-no-brasil/panorama-das-aguas/quantidade-da-agua): “…mudanças no clima que alterem o regime de chuvas podem provocar o aumento da ocorrência de eventos hidrológicos extremos, como inundações e longos períodos de seca. Esses eventos afetam a oferta de água, ameaçando o suprimento de recursos hídricos para todos”.

A falta de água traz uma série de transtornos em nossa rotina diária. Em um hospital, há alto consumo de água em diversos processos, em que podemos destacar: banho de pacientes;

higienização de utensílios de cozinha;

higienização e desinfecção do enxoval hospitalar;

higienização das mãos;

higienização e desinfecção de materiais médicos;

descarga de vasos sanitários;

higienização de ambientes e superfícies;

usos específicos, como por exemplo: água para hemodiálise

higienização e preparo de alimentos;

 

Dessa forma, é fundamental que cada colaborador da SPDM, independentemente de sua função ou setor de atuação, use água de forma racional e seja um agente de transformação em seu ambiente de trabalho e em sua vida pessoal, orientando outras pessoas sempre que presenciar desperdício, vazamento ou mau uso deste importante recurso. Vale ressaltar ainda que projetos visando a redução do consumo, como por exemplo, equipamentos mais eficientes, produtos de limpeza que não exijam enxágue e otimização de processos devem ser continuamente avaliados. É fundamental também que os Serviços de Saúde tenham um Plano de Contingência descrito contemplando ações que devem ser previamente estudadas para casos de racionamento ou falta de água, como por exemplo, conhecer a capacidade de armazenamento de água da Unidade, horários de maior consumo, possibilidade de aquisição de água por caminhão pipa ou utilização de poços artesianos etc.

Outra preocupação relacionada à crise hídrica é a crise energética, visto que, a matriz energética brasileira, para a geração de energia elétrica é, em sua maioria, proveniente de usinas hidrelétricas (64,9%, segundo o BEN (Boletim Energético Nacional), 2020). No Brasil, a maior parte das usinas hidrelétricas usam a água dos rios.

Assim, se não chove o bastante, como vimos este ano em algumas regiões (crise hídrica) o que acontece? O nível dos reservatórios cai, e a vazão da água não consegue gerar eletricidade. E precisamos recorrer a outras soluções mais complexas, caras e poluentes, como é o caso das termelétricas, movidas a carvão ou petróleo, para tentar suprir a demanda da população. É aí que entram as bandeiras tarifárias, cuja função é sinalizar as condições de geração de energia elétrica no país, mês a mês.

Mas em alguns Estados não parou de chover, como então pode faltar energia elétrica? O sistema elétrico do Brasil é todo interligado, mesmo que chova no Norte, se não chover no Sul, o sistema fica desequilibrado e prejudica a transmissão de energia. Por isso, todos nós precisamos fazer um consumo mais consciente de energia.

SE DESPERDIÇAR, VAI FALTAR!

O uso racional de água e de energia estão previstos nos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) através das seguintes metas:

6.4 Até 2030, aumentar substancialmente a eficiência do uso da água em todos os setores e assegurar retiradas sustentáveis e o abastecimento de água doce para enfrentar a escassez de água, e reduzir substancialmente o número de pessoas que sofrem com a escassez de água.

7.3 Até 2030, dobrar a taxa global de melhoria da eficiência energética.

Referências

1. Ministério do Desenvolvimento Regional. Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA). Resolução ANA n°77 de 01 de junho de 2021. Publicado em: 01/06/2021 | Edição: 102-A | Seção: 1 – Extra A | Página: 1

2. https://g1.globo.com/economia/noticia/2021/06/01/agencia-nacional-de-aguas-declara-situacao-critica-de-escassez-hidrica-em-areas-de-cinco-estados.ghtml

3. https://www.gov.br/ana/pt-br/assuntos/gestao-das-aguas/panorama-das-aguas/mudancas-climaticas-recursos-hidricos

4. https://www.ana.gov.br/aguas-no-brasil/panorama-das-aguas/quantidade-da-agua

5. http://www.hospitaissaudaveis.org/arquivos/%C3%81gua_Orienta%C3%A7%C3%A3o_Rede_HVS.pdf

6. https://brasil.un.org/pt-br/sdgs

7. Escassez hídrica e o fornecimento de energia elétrica no Brasil: https://www.epe.gov.br/sites-pt/sala-de-imprensa/noticias/Documents/infogr%c3%a1fico.pdf

8. Campanha #consumoconscienteja: https://www.consumoconscienteja.com.br/

Edição 32º - Dia Nacional da Visibilidade Lésbica

A data passou a representar um marco na luta das mulheres lésbicas pela visibilidade de seus direitos e posicionamento na sociedade como mulher e gay, enfrentando não apenas a homofobia, lesbofobia, mas também a misoginia que significa repulsa ou desprezo pelas mulheres e valores femininos.

Estamos no século XXI e as mulheres lésbicas ainda lutam pelo direito básico de existir, a lesbofobia: violência, preconceito, hostilidade e negação da mulher lésbica, é uma das faces mais cruéis da sociedade machista que viola cotidianamente os direitos das mulheres lésbicas.

A SPDM tem o compromisso com a construção de um ambiente diverso e inclusivo, onde as pessoas possam se sentir seguras para serem elas mesmas, sendo respeitadas independente da sua orientação sexual.

Os interesses da comunidade LGBTQIA+ estão sendo debatidos pelo Comitê de Inclusão e Diversidade, em especial no grupo de afinidade e estão incorporados no planejamento estratégico das Instituição Afiliadas – SPDM, dentro da perspectiva socioambiental, na meta de promoção de ações afirmativas de apoio a diversidade.

A igualdade de gênero e a redução das desigualdades fazem parte dos 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável – ODS da agenda de desenvolvimento global.

Abaixo algumas informações compartilhadas pelo grupo de afinidade LGBTQIA+ do Comitê Institucional de Diversidade:

  • LÉSBICAS e BISSEXUAIS também são amparadas pela LEI MARIA DA PENHA.

A Lei n. 11.340/2006 – LEI MARIA DA PENHA, também reconhece as relações homoafetivas ao estabelecer em seu art. 2º que: “Toda mulher, independentemente de classe, raça, etnia, orientação sexual, renda, cultura, nível educacional, idade e religião, goza dos direitos fundamentais inerentes à pessoa humana, sendo-lhe asseguradas as oportunidades e facilidades para viver sem violência, preservar sua saúde física e mental e seu aperfeiçoamento moral, intelectual e social”.

  • LESBOFOBIA Palavra criada para representar a rejeição e/ou aversão às lésbicas

Apenas respeite, isso já é o bastante!

Edição 31º - Resultados Financeiros 2020

O conceito de sustentabilidade vem sendo empregado há anos, sendo geralmente relacionado ao contexto ecológico e ambiental. No entanto, esta expressão tem sido associada a outras dimensões, como social e financeira, sendo a última, sob a ótica da capacidade das organizações em suprir suas necessidades atuais sem afetar as gerações atuais e futuras.

A sustentabilidade financeira significa buscar meios corretos de se manter economicamente viável, perpetuando o negócio e cumprindo sua missão social. Para as Organizações Sociais de Saúde – OSS como a SPDM, a sustentabilidade financeira está diretamente ligada à sua capacidade de organização e planejamento, conhecendo exatamente o seu custo operacional e se adaptando rapidamente as mudanças no cenário econômico.

O ano de 2020 foi provavelmente o momento mais delicado na história da saúde no mundo, em razão da pandemia do Covid-19. Embora o resultado do exercício global de 2020 da SPDM Afiliadas tenha sido positivo, o custo operacional foi incrementado em 12%, se comparado à 2019.

Obviamente que esse resultado foi minimizado pelo trabalho realizado por todas as equipes, tanto administrativas quanto assistenciais, seja na aquisição de materiais e medicamentos com estratégias e negociações que reduziram significativamente o impacto que a pandemia gerou nos valores desses itens, como na utilização adequada destes na assistência aos pacientes.

Temos absoluta certeza de que todo esse esforço empreendido pelas
diferentes equipes na Instituição, possibilitou esse resultado expressivo na operação da rede assistencial da SPDM, com a abertura de diversos novos leitos que foram fundamentais para o combate ao vírus, bem como a boa utilização dos recursos financeiros públicos, por meio de processos em conformidade com nossas políticas estabelecidas.

 

Edição 30 - Dia Nacional dos Direitos Humanos

A data foi escolhida simbolicamente no Brasil para homenagear a luta e a morte de Margarida Alves, defensora dos direitos dos trabalhadores rurais, morta no dia 12 de agosto de 1983, em Alagoa Grande, Paraíba. Sindicalista e uma das primeiras mulheres no Brasil a presidir um sindicato, ela foi assassinada por um matador de aluguel e a sua morte foi considerada um crime político. Em sua homenagem, a partir da Lei nº 12.641, de maio de 2012, o país instituiu o Dia Nacional dos Direitos Humanos.

A Declaração Universal dos Direitos Humanos – DUDH foi aprovada pela Assembleia Geral das Nações Unidas, como um documento que busca garantir a proteção aos direitos humanos em âmbito mundial, o Dia Nacional busca refletir os desafios do Brasil para o avanço na proteção e manutenção dos direitos individuais e coletivos.

Lembrando que os direitos humanos são direitos inerentes a todos os seres humanos, independentemente de raça, sexo, nacionalidade, etnia, idioma, religião ou qualquer outra condição. Dessa forma, incluem o direito à vida e à liberdade, à liberdade de opinião e de expressão, o direito ao trabalho, saúde e à educação.

A SPDM, na perspectiva socioambiental, tem como ação estratégica promover ações afirmativas de apoio aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável – ODS, uma agenda global positiva de metas que, se cumpridas, permitirão grande avanço no campo dos direitos humanos.

Veja abaixo a Declaração Universal dos Direitos Humanos e os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável:

https://www.gov.br/mdh/pt-br/centrais-de-conteudo/declaracao-universal-dudh/cartilha-dudh-e-ods.pdf

Edição 29 - Dia Internacional dos Povos Indígenas

Esta data foi criada pela Organização das Nações Unidas (ONU), como resultado da atuação de representantes de povos indígenas de diversos locais do globo terrestre. A data pretende chamar a atenção à necessidade de estimular condições de existência minimamente dignas aos povos indígenas, principalmente no que se refere aos seus direitos à autodeterminação de suas condições de vida e cultura, bem como a garantia aos direitos humanos.

No Brasil, os povos indígenas compõem 305 etnias, falam 274 línguas e totalizam aproximadamente 897 mil indivíduos (IBGE, 2010). Eles estão presentes em todos os estados da federação e cada povo possui uma cultura própria. Esta diversidade cultural consiste em uma das maiores riquezas do país, e representa também um grande desafio para a elaboração e implementação de políticas públicas específicas.

O Hospital Geral de Pedreira, administrado pelas Instituições Afiliadas SPDM, é referência para o atendimento indígena, tendo uma equipe multidisciplinar orientada a acolher e promover a saúde desta população.

A ação está relacionada ao ODS 10.2 que prevê até 2030, empoderar e promover a inclusão social, econômica e política de todos, independentemente da idade, sexo, deficiência, raça, etnia, origem, religião, condição econômica ou outra, e ao ODS 10.3 que visa garantir a igualdade de oportunidades e reduzir as desigualdades de resultado, inclusive por meio da eliminação de leis, políticas e práticas discriminatórias e promover legislação, políticas e ações adequadas a este respeito.

Edição 28 - Encerramento Pesquisa de Clima Organizacional FEEx - 2021

Pelo 2º ano consecutivo, convidamos nossos colaboradores a participar, entre 08 de março e 30 de junho de 2021, da Pesquisa de Clima Organizacional, elaborada pela Fundação e Instituto de Administração – FIA e Atmosfera, que utiliza a metodologia “Employee Experience” na captação da percepção dos colaboradores sobre os diversos elementos que compõem o ambiente de trabalho e que podem afetar positivamente ou negativamente no engajamento dos profissionais.

Agradecemos aos 16.712 colaboradores que, espontaneamente, dedicaram parte do seu tempo para oferecer sua sincera percepção sobre temas como carreira, comunicação interna, educação corporativa, “Employer Branding” (Marca Empregadora), estratégias e objetivos, liderança, participação e autonomia, processos e organização, reconhecimento e recompensa, relações interpessoais, sustentabilidade e diversidade, saúde, segurança e qualidade de vida no trabalho nas Instituições Afiliadas – SPDM.

A construção de um diagnóstico do Clima da Organização é apenas a primeira etapa do processo, seguindo agora para avaliação dos dirigentes e, consecutivamente, a elaboração da estratégia e governança do clima, com a elaboração de planos de ação e comunicação.

Vale ressaltar que, com base nos resultados apurados pela Pesquisa de Clima Organizacional, considerando a avaliação feita pelos colaboradores participantes, 31 filiais receberam, como reconhecimento pela qualidade do clima organizacional, o “Certificado FIA Employee Experience de Clima Organizacional”.

Filiais certificadas:

HOSPITAIS

➢ Hospital Municipal – Dr José de Carvalho Florence

➢ Hospital Municipal de Barueri – Dr Francisco Moran

➢ Hospital das Clínicas – Luzia de Pinho Melo

➢ Hospital de Transplantes – Dr. Euryclides de Jesus Zerbini

➢ Hospital Lacan

➢ Hospital e Maternidade Municipal – Dr. Odelmo Leão Carneiro

➢ Hospital Cantareira

➢ Hospital Regional de São José dos Campos – Bata Cinza

➢ Hospital Regional de Sorocaba – Bata Cinza

➢ Hospital Regional de Sorocaba – Bata Branca

➢ Hospital Geral de Guarulhos

➢ Hospital Municipal Universitário de Taubaté

➢ Hospital Municipal Vereador José Storopolli

AMBULATÓRIOS

➢ AME Idoso Oeste

➢ AME Taboão da Serra

➢ AME Mogi das Cruzes

➢ Centro de Reabilitação Lucy Montoro – SJC

OUTROS SERVIÇOS

➢ Centros de Educação Infantil – CEI’s

➢ Centro de Tecnologia e Inovação – Parque Fontes do Ipiranga

➢ CRATOD

➢ Polo de Atenção Integral à Saúde Mental – Zona Norte

➢ Projeto Recomeço Helvetia

➢ Projeto Rede

➢ Prontos Socorros Municipais de Taboão da Serra

➢ Rede Assistencial de Supervisão Técnica de Saúde Butantã

➢ Rede Assistencial de Supervisão Técnica de Saúde Vila Maria/ Vila Guilherme

➢ SAMU – São José dos Campos

➢ Serviço de Reabilitação Lucy Montoro – Humaitá

➢ SIM – Jacareí

➢ Unidade de Atendimento Integrado – Uberlândia

➢ UTI – Emílio Ribas

Este é o reconhecimento de todos os esforços dos dirigentes, da Unidade de Gestão de Pessoas e dos demais profissionais que contribuem para um ambiente de trabalho agradável e que favoreça a manutenção de equipes mais unidas e de uma atmosfera de trabalho mais harmoniosa.

Parabenizamos as filiais certificadas e agradecemos o empenho e dedicação de todos durante a realização da pesquisa de clima!

Edição 27/2021 - Aniversário de Lei de Cotas

Neste próximo sábado, 24 de julho de 2021, completa-se 30 anos da Lei nº 8.213, que estabeleceu cotas para a inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho brasileiro, e definiu que empresas com mais de 100 empregados, estariam obrigados a contratar pessoas com deficiência em seu quadro.

Nesses 30 anos, houve muitas conquistas e empresas que iniciaram um processo de inclusão, por conta da lei de cotas, hoje estão mais maduras em relação à gestão da diversidade. Os candidatos também perceberam a oportunidade e investiram em sua empregabilidade conquistando postos de trabalho importantes. Entretanto, ainda há muita coisa a ser feita. Esse período de pandemia evidenciou ainda mais a necessidade de maiores investimentos em uma cultura de inclusão. Entre as necessidades mais urgentes, destaca-se:

  • Processos de recrutamento e seleção que ofereçam oportunidades equânimes para todos os candidatos;
  • Contratações por competências e não por deficiências; 
  • Treinamentos que sejam acessíveis para candidatos que façam uso de Libras, ou que tenham alguma dificuldade de compreensão;
  • Ações de gestão que não subestimem ou superestimem o colaborador, mas que potencializem sua capacidade;
  • Planos de carreira para todos os colaboradores inseridos.

A SPDM conta com o Programa “Colaborador Eficiente” que busca promover a inclusão de pessoas com deficiência através de ações de sensibilização e orientação das equipes.

Em 2020, constituiu o Comitê de Inclusão e Diversidade (CID), que tem entre suas atribuições a promoção de ações afirmativas de apoio à Inclusão de Pessoas com deficiência.

Administrado pela SPDM, o CTI – Centro de Tecnologia e
Inclusão Parque Fontes do Ipiranga é um polo de empregabilidade inclusivo que compõe o programa “Meu Emprego Inclusivo”, lançado em 2019 pela Secretaria de Direitos da Pessoa com Deficiência do Estado de São Paulo, cujo objetivo é promover a inclusão, a permanência e o desenvolvimento profissional da pessoa com deficiência no mercado de trabalho.

Este é um serviço público (gratuito) que promove atendimento e acompanhamento tanto dos candidatos como das empresas parceiras do programa.

A área de Gestão de Pessoas, em parceria com o CTI, vem capacitando sua equipe na Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS), aprimorando o processo de inclusão de pessoas com deficiência auditiva. Também foi desenvolvido um programa específico para seleção e inclusão de Jovens Aprendizes com deficiência.

Em junho de 2021, a SPDM Afiliadas atingiu a marca de 1.122 colaboradores com deficiência, uma importante resultado na busca de uma Instituição cada vez mais diversa e inclusiva.

Estas e outras ações estão alinhadas aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável – ODS da Organização das Nações Unidas – ONU, em especial ao ODS 8 que tem como uma das metas a promoção de emprego pleno e produtivo a todos e o ODS 4 que busca garantir uma educação de qualidade inclusiva e equitativa.

Para maiores informações sobre o Programa de Empregabilidade Inclusiva acesse o link:
https://www.cti.org.br/site/programa-de-apoio-a-empregabilidade-da-pessoa-com-deficiencia/

Edição 26 - Selo Pro-ética – CGU (Controladoria Geral da União)

Iniciativa da SPDM de participação no Empresa Pró Ética

O Conselho Administrativo deliberou em novembro de 2018 sobre a participação da SPDM no Programa “Empresa Pró-Ética” da CGU – Controladoria Geral da União.

Alinhada a sua meta estratégica, as Instituições Afiliadas, iniciaram internamente a estruturação de grupos de trabalho com os temas de Integridade, Financeiro, Socioambiental e Fornecedores, que apoiaram na análise e no planejamento das ações para que o objetivo fosse alcançado.

Empresa Pró-Ética CGU

O Pró-Ética é uma iniciativa que busca fomentar a adoção voluntária de medidas de integridade pelas empresas, por meio do reconhecimento público daquelas que, independentemente do porte e do ramo de atuação, mostram-se comprometidas em implementar medidas voltadas para a prevenção, detecção e remediação de atos de corrupção e fraude.

Para que a CGU realize a avaliação dos programas de integridade, é imprescindível que as empresas pretendentes do selo Empresa Pró-Ética, cumpra algumas premissas mínimas, para então serem admitidas para a avaliação. São premissas: possuir um código de ética, realizar treinamentos com o tema de integridade, possuir um canal de denúncias e possuir área responsável pelo programa de integridade. As empresas também precisam ser signatárias do Pacto Empresarial pela Integridade do Instituto Ethos, assim como apresentar certidões de regularidade fiscal. Caso a empresa não apresente algum destes requisitos, ela é imediatamente eliminada.

A avaliação do programa de integridade das empresas pela CGU é realizada através de dois questionários:

  • Avaliação do perfil da empresa; e
  • Questionário de avaliação (123 itens – indicadores qualitativos e quantitativos que devem ser apresentados com as respectivas evidências – documentos comprobatórios).

Etapas Concluídas pela SPDM no processo de avaliação Empresa Pró-Ética

  • Jan/21 – Processo de Inscrição, com o preenchimento do formulário de obtenção de acesso ao sistema do Pró Ética;
  • Fev/21– Preenchimento dos formulários de Avaliação do Perfil da Empresa e Questionário de Avaliação;
  • Abr/21 – A SPDM foi aprovada na fase inicial de admissibilidade do Pró-Ética 2020-2021 e que, por essa razão, seu programa de integridade será avaliado pela equipe responsável do Pró Ética da CGU nos termos do disposto na Seção II, artigos 9º, 11º e 12º do Regulamento Pró-Ética – Edição 2020-2021.

Próxima Etapas do processo de avaliação Empresa Pró Ética

  • Ago/21 – Resposta da CGU quanto a avaliação do programa de integridade da SPDM
  • Set-Out/21 – Fase recursal;
  • Nov/21 – Divulgação das empresas Pró Ética 2020-2021.

Conforme dados da CGU, no ano de 2018, de 222 empresas que preencheram o questionário de avaliação, apenas 152 foram admitidas. Neste sentido consideramos um êxito o fato da SPDM ter sido admitido nesta 1ª fase, o que demonstra a consistência do programa de integridade da instituição. Outro fator relevante, para as empresas que foram admitidas para a fase de avaliação, independente da obtenção do selo, como no caso a SPDM, é o recebimento de um relatório de auditoria com as recomendações feitas pelo Comitê Gestor do Pró Ética.

Para maiores informações sobre o Programa Empresa Pró-Ética da CGU, acesse: https://www.gov.br/cgu/pt-br/assuntos/etica-e-integridade/empresa-pro-etica

Edição 25 - Guia de Autocuidado

Atenta aos efeitos colaterais causados pela pandemia de COVID-19, como o estresse e a pressão psicológica, a SPDM desenvolveu o guia de autocuidado, que tem como objetivo incentivar a incorporação de hábitos saudáveis em suas rotinas.

O conteúdo foi desenvolvido em consonância com as orientações da Organização Mundial da Saúde – OMS, que estimula a população a inserir em dia a dia, algumas mudanças que contribuem para prevenir doenças.

O guia, que faz parte das ações do programa de qualidade de vida da SPDM – Programa Viver Bem, aborda temas como saúde mental, meditação, atividade física, alimentação saudável, hábitos de higiene, meio ambiente, entre outros temas importantes para a saúde das pessoas.

Desejamos que o guia de autocuidado na pandemia possa contribuir para sua saúde física e seu bem-estar emocional durante a pandemia.

Convidamos você a acessar o conteúdo na íntegra, através do site Institucional da SPDM, no endereço eletrônico:

https://www.spdmafiliadas.org.br/wp-content/uploads/2021/06/Guia-do-autocuidado-na-pandemia.pdf

Edição 24 - Campanha de Solidariedade SPDM

Em 2021, a tradicional Campanha de Arrecadação Institucional de Agasalhos da SPDM, foi ampliada em função da grave crise econômica e social, provocada pela pandemia de COVID 19, se tornando a “Campanha de Solidariedade da SPDM”.

Neste novo formato, foi incorporada a arrecadação de alimentos não perecíveis.

Em virtude da importância desta campanha, a iniciativa será prorrogada até o dia 30/06/2021, permitindo que as filiais da SPDM permaneçam mobilizadas nesta arrecadação, ampliando o número de doações e, consecutivamente, o número de pessoas beneficiadas.

Convidamos a todos a assistir o vídeo do Superintendente das Instituições Afiliadas – SPDM, que fala sobre a importância da campanha e do engajamento de colaboradores e gestores.

http://intranet.spdmafiliadas.org.br/index.php/list/1820-campanha-da-solidariedade

Esta ação está alinhada aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável – ODS da Organização das Nações Unidas – ONU, mais especificamente aos ODS 01 – Erradicação da pobreza, ODS 10 – Redução das desigualdades e ODS 12 – Consumo e produção responsáveis.

Somada todas as edições, esta campanha já arrecadou mais de 160 mil itens de inverno e beneficiou mais de 70 Instituições. Todos os materiais recebidos das doações, são catalogados e destinados a Instituições Beneficentes de livre escolha de cada filial, priorizando comunidades do entorno da unidade.

Edição 23 - Combate ao Trabalho Escravo e Infantil

Há no Brasil, cerca de 1,8 milhão de crianças e adolescentes com idades entre 5 e 17 anos em situação de trabalho infantil. Desses, 706 mil estavam em ocupações consideradas como piores formas de trabalho infantil (Dados do IBGE 2020).

Diante desta realidade preocupante, cruel e persistente, o Ministério Público do Trabalho (MPT), a Justiça do Trabalho, o Fórum Nacional de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil (FNPETI) e a Organização Internacional do Trabalho (OIT) lançaram, no último dia 01 de junho de 2021, a campanha “Precisamos agir agora para acabar com o trabalho infantil!”. Seu objetivo é promover, por meio de ações de comunicação nas redes sociais, a conscientização da sociedade sobre a importância de se reforçar o combate a este problema no país e no mundo.

Promovidas ao longo deste mês de junho, as mobilizações pelo “Dia Mundial contra o Trabalho Infantil” buscam dar ainda mais relevância ao tema em 2021, eleito pela Organização das Nações Unidas (ONU) como o Ano Internacional para a Eliminação do Trabalho Infantil.

A SPDM está alinhada aos Objetivos de Desenvolvimentos Sustentável (ODS), entre eles, a promoção do crescimento econômico, baseado na criação de emprego e trabalho decentes para todos, com medidas eficazes para erradicar o trabalho forçado, acabar com a escravidão moderna e o tráfico de pessoas, e assegurar a proibição, eliminação das piores formas de trabalho infantil (ODS 8) e proteger todas as crianças e adolescentes do abuso, exploração, tráfico, tortura e todas as outras formas de violência (ODS 16).

O compromisso da SPDM com o combate ao trabalho escravo e infantil também está expresso no Manual de Conformidade Administrativa, Políticas e Princípios de Integridade (Capítulo 7.3.2) e no Manual de Fornecedores (Capítulo 3.2) da Instituição.

Veja abaixo algumas definições:

✓ Criança e adolescente – A criança é assim considerada até os 12 anos e, a adolescência vai dos 12 até completar 18 anos.

✓ Trabalho infantil – Uso da mão de obra de crianças e adolescentes para substituir o trabalho de adultos em atividade econômica. Por exemplo, o adolescente pode ajudar em casa nas atividades do ambiente familiar (lavar louça, arrumar a casa, etc), mas não pode exercer essas atividades em um restaurante ou outro estabelecimento de finalidade econômica.

✓ Entre 16 aos 18 anos – A lei permite trabalhar, mas em atividades que não são consideradas penosas.

✓ Artigo 227 da Constituição Federal – Estabelece: “É dever da família, da sociedade e do Estado assegurar à criança, ao adolescente e ao jovem, com absoluta prioridade, o direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e comunitária, além de colocá-los a salvo de toda forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão.”

✓ Estatuto da Criança e Adolescente (ECA) – Segue o disposto na Constituição de 1988, que proíbe o trabalho noturno, perigoso ou insalubre a menores de 18 anos e qualquer trabalho a menores de 16 anos, exceto na condição de aprendiz, a partir dos 14 anos. É também proibido o trabalho realizado em locais prejudiciais à sua formação e ao seu desenvolvimento físico, psíquico, moral e social, além daquele realizado em horários e locais que não permitam a frequência à escola.

Acesse na íntegra os seguintes materiais:

• Manual de Conformidade Administrativa, Políticas e Princípios de Integridade da SPDM

https://www.spdmafiliadas.org.br/manual-de-conformidade-administrativa-politicas-e-principiosde-integridade/

• Manual de fornecedores da SPDM

Manual de Fornecedores

• Objetivos do Desenvolvimento Sustentável – ODS

https://brasil.un.org/pt-br/sdgs

• Estatuto da Criança e Adolescente – ECA

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L8069.htm

• Constituição da República Federativa Do Brasil De 1988

https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constituicao.html

Edição 22 - PESQUISA DE CLIMA – FEEx - 2021

Neste ano, em cumprimento ao Planejamento Estratégico da SPDM Afiliadas, que tem como meta buscar a avaliação externa do clima organizacional, participamos, pelo segundo ano consecutivo, da Pesquisa de Clima Organizacional, desenvolvida por uma parceria entre as empresas FIA e Atmosfera.

A metodologia utilizada para a Pesquisa de Clima FIA Employee Experience – FEEx visa reconhecer as empresas que mais investem nos ambientes de trabalho para que sejam, ao mesmo tempo, saudáveis, agradáveis e produtivos, através de uma ótima experiência de seus colaboradores.

A Pesquisa de Clima é uma importante ferramenta de gestão, pois gera benefícios para a instituição. Como exemplos desses benefícios, podemos citar:

Autoconhecimento da organização por meio de interpretação precisa dos resultados do diagnóstico de clima;

Responsabilizar o líder pela gestão e desenvolvimento de sua equipe;

Alcançar alto desempenho em todos os times da organização;

Produzir informações para que o gestor e seu grupo identifiquem sua aderência à Cultura Organizacional da empresa;

Integrar a gestão do clima organizacional aos processos de gestão de pessoas;

Legitimar e atribuir o correto sentido de urgência às ações corretivas a serem empreendidas pelos gestores locais com apoio do RH.

Por isso, sua participação nesse processo é fundamental, pois trata-se de um canal de comunicação entre os colaboradores e a Alta Direção, que permitirá ao colaborador expressar sua opinião sobre as mais diversas perspectivas, e com isso, promover melhorias no ambiente de trabalho.

Essa pesquisa também objetiva reconhecer as empresas que apresentarem resultados de referência em clima organizacional, com a Certificação Atmosfera de Qualidade do Ambiente de Trabalho. Além disso, reconhecer publicamente as empresas que oferecem as melhores experiências a seus colaboradores, destacadas a partir do i-FEEx, com o prêmio “Lugares incríveis para trabalhar – 2021”.

Período de realização da Pesquisa de Clima: 08/03/2021 a 30/06/2021

Contamos com sua participação!

Edição 21 - Edição 21- Resultado da Pesquisa de Materialidade para o Relatório de Sustentabilidade SPDM 2020

A pesquisa de materialidade foi divulgada e ficou disponível durante todo o mês de dezembro/2020 para todos os colaboradores da SPDM (Hospital São Paulo, PAIS e Instituições Afiliadas). A pesquisa ocorreu de forma eletrônica e teve como objetivo levantar os temas materiais, mais relevantes, para os públicos de interesse (stakeholders) que irão compor o Relatório de Sustentabilidade 2020 da SPDM, de acordo com a classificação dos temas econômicos, sociais e ambientais. Além dos colaboradores, participaram outras partes interessadas, obtendo-se mais de 3.000 respostas, conforme públicos de interesse (stakeholders) que participaram da pesquisa de materialidade:

Com base no cruzamento das respostas destes diferentes públicos foram elencados 16 temas materiais que irão compor o Relatório de Sustentabilidade SPDM 2020:

O Relatório de Sustentabilidade da SPDM é realizado utilizando a metodologia do GRI (mundialmente reconhecida). A elaboração do relatório é mais uma forma de mostrar a transparência da gestão da SPDM e uma oportunidade para apresentar seus principais resultados aos seus públicos de interesse.

Nota: A iniciativa está alinhada ao Objetivos do Desenvolvimento Sustentável – ODS 12, que traz em sua meta 12.6: “Incentivar as empresas, especialmente as empresas grandes e transnacionais, a adotar práticas sustentáveis e a integrar informações de sustentabilidade em seu ciclo de relatórios”.

O Relatório de Sustentabilidade já está em processo de elaboração e será disponibilizado, em breve, em nosso site.

Aguardem!

Edição 20 - Dia de combate à LGBTfobia

Hoje (17/05) comemoramos o dia de combate à LGBTfobia, uma data dedicada a luta por respeito, cidadania e direito à vida da comunidade LGBTQIA+.

Na SPDM os interesses da comunidade LGBTQIA+ estão incorporados no planejamento estratégico da Instituição, dentro da perspectiva socioambiental, na meta de promoção de ações afirmativas de apoio a diversidade, que desencadeou a constituição dos Comitês de Inclusão e Diversidade Institucional.

A SPDM reitera seu compromisso com a construção de um ambiente diverso e inclusivo, onde as pessoas possam se sentir seguras para serem elas mesmas, sendo respeitadas independente da sua identidade, orientação sexual, forma de se vestir ou se expressar, repudiando qualquer ato discriminatório, como o uso de linguagem preconceituosa e atitudes que possam intimidar, constranger ou prejudicar as pessoas, reduzindo assim as desigualdades (ODS 10).

Há exatos 31 anos, em 17 de maio de 1990, a Assembleia Geral da Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou oficialmente que “a homossexualidade não constitui doença, nem distúrbio”, eliminando assim a homossexualidade da Classificação Internacional de Doenças. A partir dessa decisão da OMS, o dia 17 de maio tornou-se uma data simbólica e histórica para o Movimento LGBTQIA+ no mundo todo. Uma data para celebrar a diversidade e fortalecer a luta contra o preconceito.

Abaixo algumas perguntas e respostas avaliadas no grupo de afinidade LGBTQIA+ do Comitê Institucional de Diversidade:

  • Como devo reagir a piadas sobre pessoas LGBTQIA+?

Piadas podem multiplicar comportamentos, reforçando preconceitos, e por isso devem ser evitadas.

Caso presencie, aborde a pessoa e por meio do diálogo ajude a refletir sobre o que foi dito.

  • O que fazer quando a pessoa se apresentar com um nome de gênero diferente do que consta no documento oficial de identificação?

O nome que ela usar para se apresentar deve ser o nome pelo qual será chamada, isso é denominado Nome Social.

  • Pode-se usar o Nome Social no crachá, e-mail ou qualquer divulgação pública do nome?

Sim, o nome social reflete o gênero pelo qual a pessoa se reconhece e deve ser respeitado.

Edição 19 - Edição Ecos - Dia Nacional de Luta pela Educação Inclusiva

SPDM apóia a Educação Inclusiva

Há mais de 10 anos a SPDM vem trazendo importante contribuição para o desenvolvimento da Educação Inclusiva, através do Projeto Rede.

O que é Projeto Rede?

É uma parceria da SPDM com a Secretaria Municipal de Educação de São Paulo e desenvolve ação inovadora para facilitar a inclusão educacional de alunos com deficiência em todo seu território. O Projeto foi iniciado em 2010 e desde então, mais de 14.600 alunos já receberam o atendimento e mais de 2.700 profissionais foram capacitados para serem cuidadores (Auxiliares de Vida Escolar).

O que faz Projeto Rede?

O Projeto oferece serviço de suporte ao sistema de Educação Especial do município de São Paulo através da sua equipe multiprofissional, composta por Auxiliares de Vida Escolar (cuidadores especializados), Fisioterapeutas, Terapeutas Ocupacionais, Fonoaudiólogos, Psicólogos e Assistentes Sociais. A equipe atua atendendo os alunos e equipe escolar nas Unidades Educacionais e interage com Centro de Formação e Acompanhamento à Inclusão (CEFAI) da Secretaria Municipal de Educação.

O objetivo primordial do Projeto Rede é garantir o acesso dos alunos com deficiência mais grave ao sistema educacional, contribuindo com a efetiva participação dos alunos com deficiência nas atividades escolares

Você sabia!

No último semestre, o Projeto Rede entrevistou mais de 10 mil alunos com deficiência da Rede Municipal de Educação para verificar o aspecto da sua saúde, estado de aprendizagem e seu desenvolvimento funcional durante o momento delicado do isolamento social. Os dados coletados e consolidados instrumentalizam a decisão do gestor educacional e dos professores. Os contatos realizados pela equipe fortalecem o vínculo do aluno e família com a comunidade educacional.

Edição 18 - Dia Mundial da Saúde

O Dia Mundial da Saúde, comemorado em 07 de abril, foi criado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), em 1948, devido a preocupação de seus integrantes em manter o bom estado de saúde das pessoas em todo o mundo, além de alertar sobre os principais problemas que podem atingir a população mundial.

O principal objetivo desta data é conscientizar as pessoas sobre a importância da preservação da saúde para ter uma melhor qualidade de vida.

Anualmente, o Dia Mundial da Saúde é destinado a discutir um tema específico que representa uma prioridade na agenda internacional da Organização Mundial da Saúde – OMS.

Todos os assuntos debatidos durante o Dia Mundial da Saúde na OMS são prolongados ao longo de todo o ano, através de atividades e palestras instrutivas e educacionais, por exemplo.

Este ano, o tema será “Construindo um mundo mais justo e saudável”, tratando sobre os impactos gerados à população e ao mundo, em virtude da pandemia pela COVID-19, relacionado com o ODS – Objetivos de Desenvolvimento Sustentável – 03 Saúde de Qualidade.

A SPDM tem em sua missão atuar com excelência na atenção à saúde, por isso, neste dia especial, destacamos o trabalho realizado por toda a equipe, seja ela assistencial, técnica ou administrativa, e parabenizamos todos pelo empenho e dedicação pelo trabalho realizado!

Abaixo, deixamos um link para acesso a uma mensagem e reflexão do Dr. Nacime Salomão Mansur, Superintendente da SPDM – Instituições Afiliadas sobre a importância desta data!

Acesse o link e assista ao vídeo!

https://web.microsoftstream.com/video/6a23fac1-a65c-4302-bd5b-9765b4c9967e

Edição 17 - Treinamentos Compliance

Treinar pessoas, mais do que um dos pilares das ações de promoção do Compliance, é um dos onze principais valores da SPDM (confira no QR Code a lado).

Os treinamentos são fundamentais para as ações de Compliance e são adaptados as legislações, código de conduta (Manual de Conformidade Administrativa), políticas, normas e regulamentos da SPDM.

Dentre os principais treinamentos realizados de forma permanente, estão:

1. Treinamento do Manual de Conformidade Administrativa, Políticas e Princípios de Integridade da SPDM

O treinamento aborda conceitos e definições de compliance e integridade do Manual de Conformidade

Administrativa da SPDM, suas políticas, normas e regulamentos, canais de denúncias e todas as outras ações de promoção da cultura de integridade.

O treinamento do Manual de Conformidade Administrativa, que é aplicado desde 2019, tem como objetivo apresentar e disseminar para 100% dos colaboradores os conceitos de integridade e valores éticos esperados pela SPDM. Em 2020, o treinamento passou a ser realizado em plataforma de ensino a distância da SPDM.

O Manual de Conformidade Administrativa, Política e Princípios de Integridade da SPDM, foi constituído através das medidas identificadas pela SPDM para garantir que suas políticas e procedimentos sejam integrados à organização.

O Manual de Conformidade Administrativa da SPDM, disponível no site

https://www.spdm.org.br/flip/manual_cappi/Manual_CAPPI_2018_WEB.pdf 

2. Treinamento de Compliance para Fornecedores e Prestadores de Serviços

Desde maio de 2020 em função da pandemia de COVID-19, os treinamentos passaram a ser realizados na versão on-line ao vivo, contemplando também os prestadores de serviços dos hospitais de campanha de atendimento a pacientes com o Coronavírus sob gestão da SPDM. Em dezembro de 2020, este treinamento passou a ser realizado na plataforma de ensino a distância da SPDM.

3. Treinamento da Lei Anticorrupção (Lei nº 12.846/13)

Os mecanismos de integridade da Lei Anticorrupção foram explicitados e regulamentados pelo Decreto nº 8.420/15, que em seu Art. 42º, parametriza a avaliação do programa de integridade. Especificamente o item IV do referido artigo, refere que devem ser realizados treinamentos periódicos sobre o programa de integridade.

A partir de 2016, foram iniciados treinamentos na SPDM/Afiliadas, com o objetivo divulgar e conscientizar os colaboradores sobre o Programa de Integridade, utilizando como referência a Lei nº12.846 de 1º de agosto de 2013. A partir de dezembro de 2020, este treinamento passou a ser realizado na plataforma de ensino a distância da SPDM.

Além dos treinamentos informados anteriormente, importante destacar os treinamentos de Compliance para a Equipe Diretiva e Gestores de Áreas, Compras, Faturamento, Tesouraria, Contas a Pagar e Contabilidade, que se iniciaram em 2020 e terão continuidade para as outras áreas em 2021.

Contamos com a participação de todos, para a disseminação da cultura de integridade em toda a SPDM/Afiliadas!

Para dúvidas relacionadas a Integridade, consulte a área de Compliance da SPDM – compliance@spdm.org.br

Para denúncias, utilize os canais de comunicação da SPDM – www.spdm.org.br

Edição 16 - Pesquisa de Materialidade - Relato de Sustentabilidade - 2020

A SPDM, uma das maiores entidades filantrópicas de saúde do Brasil, está construindo seu 2º Relatório de Sustentabilidade, composto por relevantes indicadores econômicos, sociais e ambientais de sua operação para diferentes públicos de interesse (pacientes, colaboradores, fornecedores, governo, universidades, associações, sindicatos etc.).

O Relatório de Sustentabilidade é uma ferramenta que permite maior transparência da gestão da Organização e amplia o diálogo com os diferentes públicos.

O primeiro passo para a elaboração do Relatório é a identificação de temas relevantes que deverão ser abordados. Estes temas são chamados de “temas materiais” e levam em consideração a opinião de diferentes grupos de interesse da Organização.

Os colaboradores representam um importante grupo de interesse cuja percepção e opinião contribuirão para enriquecer este trabalho.

Desta forma, convidamos todos os colaboradores a participar da pesquisa eletrônica, disponível através de QR Code ou link.

Acesse o link e ou o QR Code e responda à pesquisa:

Mais informações sobre o preenchimento estão disponíveis na própria pesquisa. Solicitamos, por gentileza, que responda a pesquisa eletrônica até o dia 31/12/2020.

Edição 15 - Dia Internacional da Pessoa com deficiência

Em 03 de dezembro é o Dia Internacional das Pessoas com Deficiência, uma data comemorativa internacional promovida pelas Nações Unidas desde 1992, tem como objetivo promover uma maior compreensão dos assuntos concernentes à deficiência e atuar na defesa da dignidade, dos direitos e do bem estar das pessoas.

Nosso ECOS abordará sobre o preconceito em relação às pessoas com deficiência: O capacitismo

Você sabe o que é “capacitismo “?

Esse termo, traduzido do “ableism”, significa discriminação, preconceito e/ou opressão à pessoas com deficiência.
Uma sociedade capacitista é aquela que enxerga a pessoa com deficiência como alguém que deve ser corrigido, consertado ou então alguém que deve superar a deficiência para poder se enquadrar como um cidadão digno e pleno, ou seja, “perfeito” para exercer a cidadania. A sociedade naturalmente impõe barreiras estruturais, sociais, profissionais, entre outras às pessoa com deficiência física (PCD).
Um exemplo muito comum é generalizar no tratamento a pessoa com deficiência, quando dirige-se ao acompanhante ao invés a ela, para lhe perguntar algo -“Ele(a) quer …?”- julgando a pessoa com deficiência incapaz de responder por si mesma.
E quando falamos da falta de acessibilidade, seja de infraestrutura ou até mesmo acesso a uma vaga profissional, também é considerado capacitismo? Sim, uma vez que, por trás dessa estrutura inacessível, está o não reconhecimento da existência e importância do indivíduo com deficiência, ou seja, que esse indivíduo mereça transitar, frequentar lugares e/ou exercer um emprego pleno.
A SPDM, desde 2011, tem trabalhado de forma muito séria e respeitosa, e com controle e acompanhamento nos dados relacionados ao números de contratações de pessoas com deficiência. E em 2020, apesar de toda dificuldade que empresas vêm sofrendo por conta da Pandemia COVID-19, podemos afirmar que para nós, este foi um ano de grandes alegrias e realizações, pois conseguimos ultrapassar o número mil em contratações de pessoas com deficiência.
E isso, só foi possivel porque tivemos o apoio das altas lideranças, diálogos frequentes, reuniões e parcerias.

Legislação sobre Capacitismo:
https://www12.senado.leg.br/noticias/infomaterias/2020/11/capacitismo-subestimar-e- excluir-pessoas-com-deficiencia-tem-nome

Edição 14 - Dia Internacional de Luta contra a Violência à Mulher

O dia 25 de novembro é considerado o Dia Internacional da Luta pelo Fim da Violência Contra a Mulher. Considerando que as mulheres representam cerca de 75% do quadro de colaboradores da SPDM, inclusive em posições estratégicas, é fundamental que este assunto esteja na pauta do Comitê de Inclusão e Diversidade.

As mulheres precisam saber que Leis como a da Maria da Penha responsabilizam a família, a sociedade e o poder público em assegurar às mulheres o exercício do direito à vida, à segurança, à educação, à cultura, à moradia, ao acesso à justiça, ao esporte, ao lazer, ao trabalho, à cidadania, à dignidade, ao respeito e à convivência familiar e comunitária. E que as Leis podem ser aplicadas mesmo sem queixa da vítima, o que significa que qualquer pessoa pode fazer a denúncia, inclusive de forma anônima.

O serviço do Ligue 180, que antes era uma Central de Atendimento à mulher, foi transformado em disque-denúncia. Essa iniciativa, além de receber as denúncias, informa quais procedimentos devem ser tomados em casos de violação de direitos, principalmente aqueles relacionados à violência doméstica e familiar. Portanto, todas as pessoas que tenham conhecimento de qualquer tipo de violência contra a mulher, tem a obrigação de denunciar, pois o dever de vigilância tem que estar presente na sociedade como um todo e não podemos esperar que somente a própria vitima faça a denúncia.

Você sabia?
O Brasil ocupa o 5o lugar no ranking de violência contra a mulher e que apesar dos avanços com a criação de instrumentos de proteção, como a Lei Maria da Penha (Lei no 11.340/06) tornando mais rigorosa a punição para agressões contra a mulher, a cultura da violência contra a mulher continua presente em nossa sociedade. E que a pandemia de COVID-19 fez crescer o número de denúncias de mulheres vitimas de violência.

Convidamos todas as mulheres a acessar o link abaixo e participar de uma pesquisa anônima, para subsidiar futuras ações do Comitê de Inclusão e Diversidade.
Link: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSdPuwl0m9KYI9hbuaYmhY6YFL7csuBX778O9xXDMct n1wbEjA/viewform

Para conhecer mais sobre este assunto:
O QUE É CONSIDERADO VIOLÊNCIA DOMÉSTICA?
https://www.institutomariadapenha.org.br/violencia-domestica/o-que-e-violencia- domestica.html
TIPOS DE VIOLÊNCIA
https://www.institutomariadapenha.org.br/lei-11340/tipos-de-violencia.html
LEI MARIA DA PENHA
https://www.institutomariadapenha.org.br/lei-11340/lei-maria-da-penha-na-integra-e- comentada.html
REDES DE APOIO
http://www.saopaulo.sp.leg.br/mulheres/conheca-o-projeto-justiceiras/

Edição 13 - Campanha Pezinho no futuro

O teste do pezinho é essencial para detectar precocemente diversas doenças raras em crianças recém nascidas. O Sistema Único de Saúde (SUS) oferece gratuitamente um teste do pezinho básico que detecta apenas 6 doenças congênitas. Existe, na rede privada, um teste do pezinho ampliado que detecta até 53 doenças. Apesar de muitos países no mundo oferecerem o teste do pezinho ampliado de forma gratuita, no Brasil isso ainda não acontece. O drama vivido por algumas famílias brasileiras tem mobilizado a sociedade para tornar o teste do pezinho ampliado um direito gratuito a toda criança recém nascida. O Instituto Vidas Raras iniciou uma forte campanha, chamada “Pezinho no Futuro”, que prevê conscientizar os brasileiros sobre a necessidade do teste e recolher 1 milhão de assinaturas para propor um Projeto de Lei no Congresso Nacional, que o torne obrigatório e gratuito em todo território nacional. Alinhada aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU), mais especificamente no ODS 3 – Saúde e Bem Estar, que busca assegurar uma vida saudável e promover o bem estar para todos, em todas as idades, a SPDM apoia e convida a todos, de forma voluntária e democrática, a conhecer melhor a campanha e contribuir assinando a petição, caso esteja de acordo com a iniciativa.

A petição está disponível no endereço eletrônico: www.pezinhonofuturo.com.br

Quer saber mais, sugerimos o seguinte conteúdo:

Eu matei os neurônios do meu filho | Larissa Carvalho | TEDx PUC Minas

ODS – Objetivos dos Desenvolvimentos Sustentável no Brasil

https://brasil.un.org/pt-br/sdgs

Instituto Vidas Raras

http://www.vidasraras.org.br

Edição 12 - 20 de novembro – Dia Nacional da Consciência Negra

O ano de 2020 foi marcado mundialmente por fortes manifestações de repúdio ao racismo, tendo como estopim atos de violência promovidos por serviços de segurança pública nos Estados Unidos.

Movimentos como o Black Lives Matter (Vidas Negras Importam) receberam o apoio de famosos e anônimos em todo o mundo. Apesar dos grandes avanços da civilização, nossa sociedade ainda não foi capaz de erradicar as profundas diferenças produzidas pela cor da pele ou pela origem das pessoas.

Neste dia 20 de novembro, relembramos no Brasil o Dia Nacional da Consciência Negra, data que faz referência à morte de Zumbi dos Palmares, que liderou seu povo através da resistência dos escravos no Quilombo de Palmares e foi morto em uma emboscada por bandeirantes em 1695. Trata-se de uma data para reflexão sobre a força, a resistência e o sofrimento que a população negra viveu
no Brasil desde a colonização.

Na SPDM foi constituído nas Instituições Afiliadas o Comitê de Inclusão e Diversidade (CID) que vem promovendo análise de indicadores e reflexões de como tornar a instituição ainda mais inclusiva e alinhada aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) adotada pela Organização das Nações Unidas (ONU), que traz em sua meta 10.2: “Até 2030, empoderar e promover a inclusão social, econômica e política de todos, independente da idade, gênero, deficiência, raça, etnia, origem, religião, condição econômica ou outra”.

Nessa data, reforçamos aqui o compromisso da SPDM em reduzir as desigualdades e sugerimos abaixo um vídeo para reflexão.

Crianças abordando questões de racismo. https://youtu.be/qmYucZKoxQA

Edição 11 - Participação da SPDM em Projetos Relacionados às Mudanças Climáticas e Resíduos

Apresentamos nesta versão do ECOS, a participação da SPDM nas iniciativas relacionadas as mudanças climáticas e da gestão de resíduos do Projeto Hospitais Saudáveis (PHS).

O Projeto Hospitais Saudáveis é uma associação civil sem fins lucrativos que tem como objetivo transformar o setor saúde em exemplo para toda a sociedade em aspectos de proteção ao meio ambiente e à saúde do trabalhador, do paciente e da população em geral.
Entre as estratégias para obter tais resultados estão a construção de projetos intitulados de “Desafio Saúde pelo Clima e Desafio Resíduos” no qual os Serviços de Saúde podem participar mostrando seus resultados, em ciclos anuais, relacionados aos temas bem como a evolução ao longo do tempo.

Desafio: A Saúde pelo Clima

No Desafio: A Saúde pelo Clima as organizações de saúde são estimuladas a desenvolver trabalhos relacionados às mudanças climáticas com base em 03 pilares: mitigação (reduzir as emissões de gases de efeito estufa); resiliência (preparação dos Serviços de Saúde para eventos climáticos extremos e na mudança dos padrões de doenças) e liderança (educar equipes de saúde e público em geral bem como promover políticas públicas de proteção à saúde pública face às mudanças do clima).

A SPDM participa deste desafio desde o ano de 2016 com resultados bastantes significativos na redução de emissões de gases de efeito estufa que levaram a Instituição a ter reconhecimento internacional em três premiações:

No ciclo de 2016 do Desafio, a SPDM foi reconhecida na Categoria “Liderança Climática” pela realização de eventos, reuniões, apoio técnico e da definição de meta estratégica para realização de inventários de gases de efeito estufa em suas Unidades.

No ciclo 2017, o Hospital Geral de Pedreira recebeu o prêmio na Categoria “Redução de emissões de gases de efeito estufa de fontes não-energéticas” onde alcançou uma sensível redução no consumo de óxido nitroso (N2O), controlando vazamentos no sistema de distribuição e trocando antigos equipamentos de anestesia por novos modelos digitais. Com estas ações, reduziu substancialmente sua emissão de gases de efeito estufa obtendo também redução de despesas. Como resultado, o consumo de N2O caiu de 0,57 kg por cirurgia. para 0,30 kg por cirurgia de 2016 para 2017. O trabalho de redução de óxido nitroso está sendo replicado em outros Hospitais da rede SPDM.

No ciclo 2018, o Hospital Geral de Pedreira recebeu novamente o prêmio, entretanto, na Categoria “Redução de emissões de gases de efeito estufa (Energia)” por um conjunto de ações desenvolvidas pela Unidade visando a eficiência energética.

Desafio Resíduos

No Desafio Resíduos as organizações de saúde devem aprimorar suas práticas de gestão de resíduos com base em 03 pilares: medir a quantidade de resíduos (pesagem); reduzir a quantidade de resíduos perigosos (aprimoramento da coleta seletiva) e ampliar a reciclagem de resíduos. A SPDM participa do Desafio Resíduos desde o ano de 2019.

Ação de Incentivo a Participação – Comunicação

Com o objetivo de incentivar e buscar o engajamento das Afiliadas nestes desafios, no dia 08/09/2020, os profissionais da SPDM (dentre eles equipes de Hotelaria Hospitalar, Gestão Ambiental e Gestores Administrativos – 61 profissionais ao todo) participaram de evento interno com a presença de representantes do Projeto Hospitais Saudáveis (PHS) onde foram expostos os fatores que motivam a SPDM a participar destes desafios:

Participação em campanhas internacionais;

Apresentação de dados já disponíveis e gerenciados pelas Instituições Afiliadas;

Comparação de dados entre Unidades Afiliadas e entre Instituições participantes dos desafios;

Participação em eventos e premiações da campanha;

Redução do impacto ambiental do Setor Saúde.

A equipe do PHS, em sua exposição no evento, abordou sobre o panorama global da crise climática, assim como realizou as orientações sobre a inserção de dados para a participação dos desafios.

Para maiores informações sobre estes projetos, acesse:

https://www.hospitaissaudaveis.org/nossosProjetos.asp

Edição 10 - Perspectiva Financeira Gestão de Suprimentos na Pandemia de COVID-19

As aquisições e contratações para fornecimento de insumos e equipamentos, de um modo geral, foram sensivelmente impactadas pela pandemia de COVID-19. Conforme noticiado em diferentes meios de comunicação de imprensa, ao longo dos meses nas circunstâncias da pandemia, os diferentes tipos de produtos e equipamentos voltados ao atendimento de pacientes com COVID-19 tiveram sensíveis impactos em suas cadeias de suprimentos. Especialmente quanto ao volume ofertado por fornecedores, insuficiente para o atendimento de toda a demanda do mercado internacional globalizado, com consequentes oscilações de preços em escalas inimagináveis.

As novas experiências de pesquisa de preços neste período de pandemia, demonstraram uma completa mudança do mercado de fornecedores, com a apresentação de novas empresas para intermediação da importação dos insumos da China e Estados Unidos.

Isso se mostrou um desafio diante da necessidade de decisões quase que imediatas e, portanto, com grande possibilidade de falhas na avaliação dos riscos.

Neste cenário, um gabinete de crise específico para acompanhamento das aquisições foi estruturado, com o objetivo de mitigar riscos da tomada de decisão em momentos conturbados de enfrentamento de uma pandemia.

Ao aprofundar a análise do contexto das aquisições e contratações realizadas na vigência da pandemia de COVID-19, estruturamos na sequência a avaliação por tipo de produto ou equipamento envolvido.

Desde as variações significativas nos preços de insumos do período, ressalta-se: luvas, máscaras, aventais e óculos de proteção.

A integração das áreas de Compras e Suprimentos com o CTQF – Comitê Técnico de Qualificação de Fornecedores foi de fundamental importância para o monitoramento dos dados logísticos em tempo real, dentre eles, os níveis de estoques, preços de mercado e a disponibilidade de entrega de produtos pelos fornecedores.

A equipe financeira continua empreendendo esforços para o enfrentamento dos desafios trazidos pela pandemia de COVID-19, buscando alternativas de insumos e fornecedores, observando qualidade, preço e a conformidade das legislações.

Edição 09 - Comitê Inclusão e Diversidade

A desigualdade social provocada por preconceito e intolerância, é uma triste realidade que se reflete nas relações de trabalho. É por este motivo que o tema diversidade vem se tornando cada vez mais presente no mundo corporativo. Na perspectiva socioambiental do Planejamento Estratégicos de 2020, a SPDM decidiu dar mais um passo na busca por pluralidade em seus ambientes de trabalho e estabeleceu a criação do Comitê de Inclusão e Diversidade.

O comitê tem o objetivo de debater e promover na SPDM ações de inclusão e diversidade para públicos historicamente discriminados, como negros, mulheres, índios, portadores de deficiência física e intelectual, a comunidade LGBTQIA+ e até mesmo os idosos.

A pluralidade no ambiente de trabalho tem provado ser um dos segredos das instituições de sucesso, ampliar a promoção da diversidade e a inclusão na SPDM vai muito além do que melhorar o ambiente de trabalho, é na riqueza de pontos de vista sobre um mesmo assunto, que nasce espaço para a inovação.

Devido ao seu grande número de profissionais, a SPDM convidou colaboradores com interesse no tema Inclusão e Diversidade, para constituir um primeiro comitê, que ficará responsável por estruturar e viabilizar a participação e o envolvimento dos demais interessados.

Segue abaixo a relação dos integrantes do Comitê de Inclusão e Diversidade:

Comitê

23 de Julho de 2020 Edição 09

Artur Luiz dos Santos – Tecnologia da Informação

Daniela Junqueira Stefani de F. Marcos – Administração

Eliane Fumie Nagayoshi – Administração

Fernando Correa Simão – Recursos Humanos

Francisca Regivânia Martins da Silva – Recursos Humanos

Jonas Age Said Schwartzman – Engenharia Ambiental

Marcelo Lira Domingues – Recursos Humanos

Michelli Bertoni – Equipe Técnica

Natalia Fernanda C. Blandino – Administração

Paula Gabryella Leite – Recursos Humanos

Suely Freire da Silva – Administração

Yumi Kaneko – Equipe Médica

Em 30/07/2020 realizamos a primeira reunião do Comitê de Inclusão e Diversidade, onde serão definidas as primeiras ações e a agenda regular de encontros.

Superintendência das Instituições Afiliadas – SPDM

Edição 08 - Diversidade - Representatividade Feminina

No próximo dia 08 de março, comemoramos o “Dia Internacional da Mulher”, uma data que simboliza a luta das mulheres por igualdade de direito com os homens, em diversos setores da sociedade.

Na SPDM Afiliadas, a presença feminina é expressiva em nossa força de trabalho, com destaque nas posições de alta e média liderança onde decisões importantes são tomadas por mulheres o tempo todo.

A diversidade é uma das vantagens de sucesso da Instituição, e pode ser observada em nossa missão “Atuar com excelência na atenção à saúde sem preconceito, distinção ou classificação dos cidadãos”.

Apesar do significativo avanço nas conquistas femininas, nossa sociedade precisa evoluir para atingir a plena equidade de gênero, onde não haja diferença de tratamento entre homens e mulheres.

Desejamos a todas as mulheres, em especial as nossas colaboradoras, um dia de paz, harmonia e muitas alegrias.

Você Sabia?

No Planejamento Estratégico de 2020, na perspectiva Socioambiental, a SPDM se comprometeu em Constituir o Comitê de Diversidade, para promover ações afirmativas de apoio aos diversos grupos sociais e multiculturais da Instituição.

 

Edição 07 - Ética Empresarial Relacionamento com Fornecedores

Desde a sua fundação em 1933, a SPDM preza pela conformidade e transparência dos seus atos para com as diferentes partes interessadas (colaboradores, contratantes, sociedade em geral, fornecedores e órgãos reguladores/fiscalizadores).

Neste contexto, buscando reafirmar seus compromissos éticos com seus fornecedores, a SPDM publicou em 2019 a primeira versão de um manual de conduta específico para os terceiros – “Manual de Fornecedores SPDM”. Este manual contem a síntese das recomendações já anteriormente divulgadas no “MANUAL DE CONFORMIDADE ADMINISTRATIVA, POLÍTICAS E PRINCÍPIOS DE INTEGRIDADE”, bem como, outros requisitos técnicos, éticos e administrativos adotados pela SPDM no relacionamento com sua cadeia de fornecedores de produtos e serviços.

A SPDM, em 2019, definiu a matriz de riscos da cadeia de fornecedores, estabeleceu o diagnóstico da criticidade das diferentes categorias de fornecedores, de acordo com critérios operacionais, aspectos socioambientais, trabalhistas e de riscos para atos ilícitos ou de corrupção.

No mês de novembro/2019, como parte dos esforços realizados no intuito de integrar toda a cadeia de valor nas regras e iniciativas de condutas e comportamentos éticos amplamente disseminados nas Instituições SPDM, foi realizado o primeiro encontro para capacitação dos fornecedores da SPDM, que somados aos outros 2 encontros já realizados somam 91 empresas capacitadas.

Por fim, não podemos deixar de afirmar que todo este conjunto de ações realizadas no âmbito da cadeia de fornecedores da SPDM, está intrinsicamente
relacionada aos objetivos da Instituição de atuação com excelência, além de estar intimamente relacionada aos seus valores, como a capacitação, o compromisso social, confiabilidade, equidade, ética, qualidade, sustentabilidade e transparência.

A SPDM não aceita ou tolera o uso de práticas fraudulentas ou qualquer ato de corrupção por seus representantes, colaboradores e parceiros de negócios, incluindo seus fornecedores e terceiros. O comportamento ético norteia nossas ações enquanto organização e, portanto, é nosso compromisso exigir também de nossos terceiros, o cumprimento das regras e condutas aplicáveis, incluindo aquelas relacionadas ao respeito à saúde, à segurança, trabalhistas, ao meio ambiente e aos direitos humanos.

Comportamentos e práticas de fornecedores que fogem ao esperado, devem ser reportadas através de nosso canal de denúncias disponível no site da Instituição: https://spdm.org.br/contato/fale-com-oconselho-administrativo

Edição 06 - Relatório de Sustentabilidade

Em dezembro/2019, pela primeira vez, a SPDM publicou seu Relatório de Sustentabilidade. Trata-se de um importante avanço na divulgação dos resultados.

O Relatório foi elaborado utilizando o método GRI (Global Reporting Initiative) Standards, um dos métodos de relato mais utilizados no mundo. A elaboração do relatório contou com a participação de diferentes grupos de interesse (alta direção; associações/ONGs; colaboradores; conselho gestor/comunidade; fornecedores/prestadores de serviços; pacientes/acompanhantes; secretarias de saúde e universidades) por meio de uma pesquisa eletrônica.

O documento está disponível para consulta no site da SPDM através do link: http://spdm.org.br/flip/Sustentabilidade/ ou através do banco de dados do site do GRI: https://database.globalreporting.org/organizations/21898/.

Para maiores informações, entre em contato pelo e-mail sustentabilidade@spdm.org.br.

Edição 05 - Metas e Objetivos Alcançados

Ao término de cada ano, em um encontro que congrega as equipes diretivas, gestores de todas as unidades e a Superintendência das Instituições Afiliadas são apresentados e discutidos os resultados do ano vigente e as metas para o próximo ano, tendo em vista que as lideranças presentes são as responsáveis por assegurar o desdobramento e a execução da estratégia.

No encontro de 2019, foram apresentados numerosos resultados. Como, por exemplo, na perspectiva social, a adesão da alta administração ao Pacto Empresarial pela Integridade e Contra a Corrupção que teve o cumprimento da meta por 100% das Afiliadas, a melhora da satisfação do cliente que foi alcançada em 91% das unidades e a premiação do Hospital Geral de Pedreira no desafio “A Saúde pelo Clima na América Latina” na categoria “redução de emissões de gases de efeito estufa de fontes não energéticas”, frente a sensível redução no consumo de gases anestésicos, em especial do óxido nitroso (N2O), que diminuiu em 66% de 2016 para 2018. Com esta premiação a SPDM consolidou a sua posição como a única instituição brasileira a ser premiada por 03 anos consecutivos. Ainda, tiveram destaque: o Hospital de Transplantes Euryclides de Jesus Zerbini por ter sido o primeiro hospital da rede a obter a Certificação por Distinção no Tratamento da SEPSE Instituto Latino Americano da Sepse/ Instituto Qualisa de Gestão 2017/2019 e oito unidades pela certificação no Sistema de Gestão Integrada das normas da ISO.

Quanto a perspectiva financeira, foi destacado que a sustentabilidade econômica financeira da SPDM, um dos principais itens de desempenho mensalmente acompanhado, que depende majoritariamente dos repasses efetuados pelos entes públicos através dos Contratos de Gestão e Convênios e que podem influenciar sua performance. Em 2019, a Instituição teve impactos significativos em alguns contratos, relacionados a reajustes abaixo do IPCA – Índice de Preços ao Consumidor Amplo acumulado (3,74%), redução orçamentária nos primeiros
meses do ano para algumas unidades e outras com até 6 meses sem receber o repasse pactuado. Tais situações impactaram no prazo de pagamento à fornecedores.

Nos processos internos houve importante melhora na conformidade, tendo alcançado mais de 95%, na prevenção do risco de quedas, lesão por pressão e checklist cirúrgico. Estas práticas ainda demonstraram redução da variabilidade dos processos, o que sugere amadurecimento. Tiveram melhora considerável também as práticas de segurança no uso de bomba de infusão, antibioticoprofilaxia e higiene das mãos, contudo não atingiram a meta estratégica. Outro achado próspero se refere as linhas de cuidados. Dezoito linhas têm sido monitoradas sistematicamente e sua categorização demonstra o quanto estão alinhadas as questões epidemiológicas atuais, principalmente no que refere ao aumento da expectativa de vida, incidência de doenças crônicas e as causas frequentes de morbimortalidade no país (Ministério da Saúde, 2016).

Com grande satisfação foi pontuado, ainda nesta perspectiva, sobre a redução da infecção por dispositivos invasivos. Destacaram a redução das infecções relacionadas ao uso de ventilação mecânica que reduziu em 63%, o que representa 398 vidas salvas e 796 pneumonias evitadas. O mesmo êxito foi alcançado na diminuição das infecções de corrente sanguínea associada ao uso de cateter venoso central que salvou 197 vidas e evitou 657 infecções em 2019.

Vale destacar, que os dados que precisam ser aprimorados, igualmente são apresentados e discutidos, a fim de engajar os profissionais e manter o foco permanente na melhoria contínua dos processos.

Na perspectiva aprendizado e desenvolvimento, foi divulgado que as lideranças estratégicas já tiveram 9.102 horas de treinamento e as táticas 5.564. A capacitação dos profissionais em Segurança do Paciente atingiu mais de 40.500
horas em 2019, tendo avançado muito no alcance da meta que é de treinar 100% dos colaboradores, ainda que o prazo de cumprimento desta seja em 2020. Os dados evidenciam o contínuo investimento da organização no aperfeiçoamento das pessoas e na melhoria dos processos, sobretudo direcionado a excelência na prestação do cuidado e na eficiência, sustentabilidade e compliance organizacional.

Além do encontro anual com os gestores, a organização conta com a difusão de suas metas e resultados via intranet, fundos de telas dos computadores, boletins, murais e circulares internas, e em 2019, com a criação do ECOS – Espaço de Comunicação Organizacional SPDM, um canal de comunicação interno que divulga periodicamente informações institucionais para todos os colaboradores, por e-mail. Recentemente, foi publicado o 1º Relatório de Sustentabilidade da SPDM utilizando o padrão GRI Standards que apresenta um panorama atual da organização em suas múltiplas frentes, situando o leitor de maneira transparente e objetiva, quanto aos propósitos da organização e suas principais contribuições à sociedade. O documento foi disponibilizado na página da SPDM (www.spdm.org.br) e pode ser acessado por meio do link http://spdm.org.br/flip/Sustentabilidade/ .

O nosso desafio, como profissional da saúde, independente do cargo ou função, é buscar continuamente a melhora dos processos e entregar o melhor resultado possível, oferecendo uma atenção à saúde digna e com qualidade!

Assim, essas metas e resultados são frutos do trabalho diário de cada um de nós e o êxito das nossas instituições é uma conquista de todos! Vamos em frente!

Edição 04 - Resultados Financeiros

No modelo de gestão por O.S.S. – Organizações Sociais de Saúde, o poder público transfere a gestão para entidades privadas, sem fins lucrativos, como a SPDM, por exemplo.

A SPDM é responsável pela gestão dos recursos financeiros repassados pelo contratante e pelo uso, guarda, manutenção e conservação dos bens, equipamentos e instalações colocados à disposição para realização dos serviços contratados.

Os contratos de gestão são celebrados por um prazo de 5 anos, e definem metas qualitativas e quantitativas e possuem orçamento definido.

A busca persistente pelo equilíbrio financeiro é um dos objetivos estratégicos da SPDM, entretanto, os grandes desafios que o modelo de gestão O.S.S. impõe às entidades gerenciadoras, é fato conhecido.

Em relação à perspectiva contábil, todos os registros dos ativos estão em nome do órgão contratante e todo o registro do passivo está em nome da organização social, o que gera inevitável déficit contábil.

Outro aspecto, é que o regime de caixa é predominante e, assim qualquer recurso oriundo de superávit é retornado ao órgão contratante, Estado ou Município.

É relevante considerar os críticos percentuais de reajustes orçamentários muito abaixo dos indicadores econômicos de mercado, assim, os reajustes dos principais itens de despesas dos contratos, como salários, contratos de terceiros e insumos são indexados pelos índices econômicos dos respectivos segmentos, enquanto as metas de produção do contrato de gestão são mantidas. Este fator impõe à O.S.S., evolução contínua na gerência das unidades com medidas de ganhos de performance na área assistencial e na área administrativa, como por exemplo, renegociação de prazos de pagamentos a fornecedores, visando à produtividade como um todo.

Outro ponto que merece destaque, é o benefício fiscal que a SPDM gera aos cofres públicos, pois sendo ela uma entidade filantrópica, nossos contratantes (Estados e Municípios) economizaram em 2018, R$ 409 milhões, sendo possível com esse recurso a operacionalização de 3 Hospitais iguais ao Hospital Geral de Pirajussara, que em termos de produção, dariam em um ano mais de 54.888 internações, 44.064 cirurgias, 10.356 partos, 228.057 consultas médicas, 106.161 atendimentos de urgência, dentre outros.

Por fim, é importante destacar que todo recurso recebido por contratos de gestão e convênios com os entes públicos, devem e são, desde o início da nossa operação, separados por projeto, ou seja, para cada nova unidade é aberto um CNPJ filial e conta bancária exclusiva para que não haja alocação desses recursos para matriz e outras filiais SPDM. Esse procedimento avaliza aos órgãos de controle, total transparência e garantia de que todos os recursos recebidos por determinada unidade são totalmente empregados na mesma.

Edição 03 - A Evolução do Tema Sustentabilidade na SPDM

Desde o início da gestão do Hospital Geral de Pirajussara, a questão ambiental é considerada um tema de grande relevância na SPDM. As Instituições contam com uma equipe de Técnicos que trabalham continuamente em busca da redução dos impacte os ambientais. Ao longo dos anos, diversos trabalhos importantes foram desenvolvidos:

Criação do Comitê de Gestão Sustentável multiprofissional com o objetivo de discutir e implementar ações relacionadas aos dez objetivos da Agenda Global Hospitais Verdes e Saudáveis.

A formalização do Grupo de Trabalho (GT) Socioambiental em 2019 com o objetivo de avançar nas questões sociais e ambientais e relacionando-as ao tema Integridade/Compliance.

Substituição de termômetros e esfigmomanômetros de mercúrio por alternativas mais seguras: com esta ação, as Unidades Afiliadas receberam certificado de Menção Honrosa do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).

Participação na campanha internacional Agenda Global Hospitais Verdes e Saudáveis que através de 10 objetivos relacionados e integrados (Liderança, Substâncias Químicas, Resíduos, Água, Energia, Transportes, Alimentos, Produtos Farmacêuticos, Edifícios, Compras) busca a redução de impactos ambientais do setor Saúde.

Elaboração de Inventário de Gases de Efeito Estufa desde 2015. Esta ferramenta permite que uma organização conheça a emissão dos gases decorrentes de sua operação e trabalhe constantemente para reduzi-los. Este trabalho foi pioneiro para Serviços de Saúde Públicos, fato que foi comprovado através de 02 apresentações internacionais.

Participação no “Desafio – A Saúde pelo Clima”: campanha mundial que visa mobilizar o setor da saúde de todo o mundo para proteger a saúde pública dos efeitos das mudanças do clima. Em 2016, a SPDM recebeu o Prêmio de Liderança Climática na América Latina por seu esforço na disseminação do tema, Mudanças Climáticas e pelo desenvolvimento de seu 1o Inventário de Gases de Efeito Estufa.

Participação no Projeto Compras Sustentáveis na Saúde (Sustainable Health in Procurement Project – SHiPP, na sigla em inglês) iniciativa internacional lançada em 2018 no Brasil que visa reduzir os danos às pessoas e ao meio ambiente causados pela fabricação, uso e descarte de produtos médicos. Para isso, há necessidade de atuação junto aos fornecedores do Setor Saúde.

Após anos de implantação desta ação preventiva ao risco do mercúrio, a aquisição destes equipamentos foram proibidas pela ANVISA.

Participação na organização do Seminário Hospitais Saudáveis: maior evento brasileiro que trata do tema Gestão Ambiental em Serviços de Saúde realizado desde 2008.

Destinação final adequada de resíduos: através de pontos de coleta nas Unidades Afiliadas (óleo de fritura, películas de raios- X, pilhas e baterias, etc.) para pacientes e colaboradores.

Participação no Desafio Resíduos que tem como principais metas mobilizar o setor da saúde brasileira para aprimorar suas práticas de gestão de resíduos. Esta campanha se fundamenta em três pilares: medir a geração de resíduos gerados por tipo, reduzir a geração total de resíduos e ampliar a reciclagem.

Em 2018, a SPDM iniciou um trabalho de implantação de um Sistema de Gestão Integrado (SGI) com base nas seguintes normas: ISO 9001 (Qualidade), ISO 14001 (Gestão Ambiental), ISO 45001 (Saúde e Segurança Ocupacional) e ISO 50001 (Eficiência Energética). Estas normas são referências mundialmente conhecidas e é mais uma importante conquista da Gestão das Instituições Afiliadas.

Outra ação que merece destaque foi a implantação do Selo Green Kitchen na maioria das cozinhas. Este programa avalia ações ambientais e sociais realizadas pela Unidade de Alimentação e Nutrição (UAN).

O uso racional de recursos (água, energia, gases, materiais médicos, produtos, etc.) e a destinação correta dos resíduos produzidos está associado às atividades de todos os colaboradores.

Contamos com você no aprimoramento de nosso desempenho ambiental!

Edição 02 - Compliance e Integridade

O termo Compliance tem origem do verbo inglês to comply, que significa agir de acordo com a lei, uma instrução interna, um comando ou conduta ética, ou seja, estar em compliance é estar em conformidade com regras internas da empresa, de acordo com procedimentos éticos e as legislações vigentes.

A expressão compliance não pode ser resumida apenas ao seu significado literal, o compliance está além do mero cumprimento de regras formais, devendo ser compreendido de maneira sistêmica, lastreado em valores éticos, na sustentabilidade corporativa e na continuidade do negócio da instituição.

As ações de integridade da SPDM foram desenvolvidas ao longo de seus 86 anos de existência, referenciadas por meio de práticas e legislações nacionais, como a Lei nº 12.846/2013, documentos vigentes relacionados ao tema de integridade.

Além do apoio da alta administração, o programa integridade da SPDM é baseado em 3 pilares: Prevenção, Detecção e Correção.

Edição 01 - Ética Empresarial

A SPDM sempre explicitou em seus valores o comportamento ético empresarial esperado de cada profissional, independente da função ou da posição hierárquica que ele se encontra.

Ao longo do tempo, a Instituição foi aprimorando o seu modelo de gestão e suas orientações do que é esperado e do que não é tolerado nas relações que envolvem clientes, fornecedores, pacientes, funcionários, entidades públicas e todas as demais relações de trabalho.

Em paralelo, a sociedade também evoluiu, um reflexo disso, é a Lei nº 12.846, de 1º de agosto de 2013, que responsabiliza sobretudo empresas, pela prática de atos contra a administração pública, numa clara tentativa de estabelecer limites éticos empresariais na relação com o poder público.

A Instituição capacita seus colaboradores e subsidia com instrumentos de consulta e orientação, como por exemplo o Manual de Conformidade Administrativa, Políticas e Princípios de Integridade, já na sua segunda
versão é distribuído fisicamente, entregue no primeiro dia de trabalho do profissional, como na versão disponível na Internet, Intranet e Aplicativo para celular.

Também criou e divulgou amplamente os canais de comunicação receptivos, totalmente confidenciais, onde qualquer colaborador tem acesso e pode tirar dúvidas ou até mesmo denunciar irregularidades na Instituição.

Recentemente nos associamos ao Instituto Ethos, e nos organizamos para ter nossos esforços validados e reconhecidos por Instituições externas.

Buscaremos em 2020 o selo Pró-Ética, que é o reconhecimento do Instituto Ethos e da CGU – Controladoria Geral da União, para as Empresas que voluntariamente se propõem a construir um ambiente ético, de Ética Empresarial integridade, confiança nas relações empresariais, de prevenção e combate a corrupção, inclusive no setor público.

Hoje, promoveremos mais um passo em busca de transparência e ética empresarial, desta vez pensando em nossos colaboradores, que nas últimas Pesquisas de Clima Organizacional apontaram para uma necessidade de melhoria na comunicação formal.

Esta é a primeira edição do ECOS – Espaço de Comunicação Organizacional da SPDM, que regularmente será publicado com o objetivo de estabelecer um canal de informações oficial para os colaboradores, livre de ruídos, para assuntos estratégicos, afinal todo colaborador deve conhecer e compreender sua Instituição para que possa contribuir efetivamente.

O ECOS é um Instrumento de alinhamento que oferecerá informações Institucionais de temas relevantes, como Ética Empresarial, Sustentabilidade, Compliance, Planejamento Estratégico, Resultados Financeiros, Metas e Objetivos Alcançados, entre outros.
A consecução da missão e da visão da Instituição é tarefa a ser compartilhada entre todos nós.

Dr. Nacime Salomão Mansur
Superintendente das Instituições Afiliadas – SPDM